OLHO
HUMANO

Alt tag

OLHO HUMANO

Anatomicamente, o olho pode ser dividido em dois segmentos principais:

 

Segmento anterior: constituído pela Esclera, córnea, íris, corpo ciliar, humor aquoso e cristalino.

 

Segmento posterior: constituído pela Coroide, membrana de Bruch, humor vítreo e retina. Quando os olhos estão abertos, a luz passa através de suas estruturas transparentes sofrendo refração (desvio), a fim de atingir a retina no ponto correto (mácula).

 

A córnea é a estrutura do olho responsável pela refração, porém, outras estruturas, como o filme lacrimal, o humor vítreo e o cristalino, também contribuem para esse papel.

 

Quando a luz chega à retina (no fundo do olho), ela estimula fotorreceptores, células nervosas sensíveis à luz, que transmitem impulsos nervosos através do nervo óptico até áreas especializadas do cérebro, formando a visão.

 

Conheça a estrutura do olho humano:

Curiosidade

Curiosidade: O músculo da íris relaxa sob luz fraca, aumentando o tamanho da pupila, e contrai sob luz forte, reduzindo o tamanho da pupila e a entrada de luz, protegendo, assim, a retina.

Alt tag

RETINA

A retina converte as ondas luminosas em impulsos nervosos, que podem ser decodificados pelo cérebro. De forma simplificada, pode-se dividir a retina em três estruturas importantes:

 

• Fotorreceptores
• Epitélio pigmentar da retina (EPR)
• Membrana de Bruch

    
O EPR, por sua vez, conecta-se com as células fotorreceptoras sensíveis à luz. É importante lembrar que tanto o EPR como as células fotorreceptoras não contêm vasos sanguíneos. 

 

A nutrição da parte externa da retina é feita através de vasos da Coroide, enquanto a porção mais interna, pelos ramos da artéria central da retina. As veias seguem a distribuição das artérias.

 

A Coroide é uma camada de vasos sanguíneos que fornece oxigênio e nutrientes para a retina externa, incluindo os fotorreceptores.

 

As células fotorreceptoras, ou apenas fotorreceptores, são como células nervosas especializadas na captação de luz.

 

Funções da estrutura da Retina:

Cada estrutura retiniana possui uma função específica.

 

ESTRUTURA

FUNÇÃO

Células fotorreceptoras

Transformam radiação luminosa em impulsos nervosos.

Células epiteliais (EPR)

Formam uma barreira entre a Coroide e a Retina externa, nutrindo as células fotorreceptoras e processando resíduos provenientes das mesmas.

Membrana de Bruch

Permite a passagem de nutrientes e produtos de excreção entre a Coroide e a Retina externa.

 

Os fotorreceptores podem ser divididos em dois tipos:

 

• Bastonetes

• Cones

 

Os Bastonetes são sensíveis à baixa intensidade de luz e, por esse motivo, necessários para a visão noturna. Também são sensíveis ao movimento, porém não distingue cores. Por conta disso, quando em um ambiente com pouca luz, uma pessoa não é capaz de identificar cores, e sim apenas tonalidades mais acinzentadas.

 

Os Cones, por sua vez, necessitam maior quantidade de luz e podem, por isso, distinguir cores e detalhes finos. Cada um dos três tipos de Cone é sensível a um tipo de luz (verde, vermelho ou azul).

 

Existe uma maior concentração de Cones na Mácula, permitindo uma visão mais detalhada dos objetos e a visão central. Dessa forma, a melhor acuidade visual sempre será obtida olhando diretamente para um objeto que esteja sob boa luz.

Olhos

MÁCULA E FÓVEA

A Mácula é uma área especializada no centro da retina, responsável pela visão nítida. Por ser muito importante para a visão, contém uma maior densidade (o dobro) de fotorreceptores do que o resto da retina.

 

O centro ultra-especializado da Mácula é chamado de Fóvea, e é a região de sua máxima acuidade visual. A Fóvea constitui-se numa depressão no centro da Mácula, com aproximadamente 1,5 milímetros de diâmetro, onde não são encontrados Bastonetes, apenas uma concentração de Cones vermelhos e verdes junto com seus respectivos neurônios.

Olhos
Bastonetes e Células
Olhos

Video title

YYMMDD Author/Uploaded by

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua.

Como a Fóvea é a região de máxima acuidade visual da Mácula, seu suprimento de oxigênio não pode ser realizado através do sangue, como no resto da retina. No centro da Fóvea existe uma zona foveal avascular, onde existe um buraco na rede de capilares que supre o resto da retina. Essa vascularidade permite a penetração de luz nos fotorreceptores.

 

Para entender melhor como funciona a visão, assista o vídeo ao lado:

Olhos

Referências:

 

1. Kanski, Jack J. Oftalmologia clínica: uma abordagem sistemática / Jack J. Kanski e Brad Bowling; [tradução de Alcir Costa Fernandes, et al.]. - Rio de Janeiro: Elsevier, 2012.

 

2. Netter, Atlas de anatomia humana / Frank H. Netter; [tradutores Fabiana Conti Rosé e outros]. - Rio de Janeiro: Elsevier, 2008.

 

3. O Olho Humano: Como funciona o olho humano? Disponível em: clique aqui. Último acesso em 19 Fevereiro 2015.

 

4. O olho humano e suas funcionalidades: a anatomia ocular. Disponível em: clique aqui. Último acesso em 19 Fevereiro 2015.

 

PP-EYL-BR-0455-1 | Junho 2021