Matérias

Como apoiar o paciente com DMRI

Dicas para os cuidadores e familiares dos pacientes. Como melhorar o ambiente da casa para o paciente com DMRI.

  • A+
  • A-

Dica cultural: Museu da Imagem e do Som: espetáculos, exposições, cinema e muito mais. O espaço multicultural é uma das principais atrações turísticas da cidade de São Paulo.
Dica de viagem: Ouro Preto, com suas igrejas, em Minas Gerais, é um local imperdível para quem quer aprender um pouco mais sobre uma parte importante da história e cultura brasileiras.

Apoio ao paciente com DMRI

Quando o médico traz a notícia do diagnóstico de DMRI, é normal acontecer o chamado “choque inicial”, pelo medo dos danos à visão central e aumento da dependência com o passar do tempo. Mas não se impressione. A DMRI pode e deve ser acompanhada de maneira natural e simples, para minimizar os impactos e facilitar a adaptação às dificuldades que surgirem.

Justamente por causa dessas dificuldades, é muito importante a participação e ajuda de familiares, amigos e cuidadores no dia a dia, que, junto ao tratamento clínico específico, podem fazer com que a vida continue da maneira mais agradável possível. Algumas pequenas iniciativas dentro de casa podem fazer muita diferença, como:

- Instale corrimões nas escadas, corredores e, principalmente, nos banheiros (devido ao piso molhado);

- Reforce a iluminação, o que facilita o deslocamento pela casa e a leitura;

- Amplie ao máximo os espaços da residência, retirando objetos desnecessários do caminho do paciente, como vasos de plantas pontiagudas;

- Em sítios e/ou fazendas, tenha muito cuidado com os animais;

- A cozinha e a área de serviço devem receber atenção especial, já que por lá se encontram substâncias e objetos perigosos, como facas e produtos de limpeza;

- Organize toda a casa, para facilitar a procura de qualquer objeto que o paciente com DMRI precisar. Evite mudar objetos e móveis de lugar.

Essas precauções são básicas e não significam uma dependência do paciente, mas trazem maior segurança e conforto a quem sofre de DMRI. O paciente precisa ter em mente que a degeneração da mácula pode ser controlada, e as visitas ao oftalmologista devem ser rotineiras.

Referência

Stancati M. Iluminação para a terceira idade numa casa de repouso. Revista Especialize [Internet]. Mai 2012 [Acessado em: 24 fev 2015]. Disponível em: <http://www.especializandovencedores.com/uploads/arquivos/7f1b6e239a69fde25b55e02cc0c151a5.pdf>

Agenda cultural

Inaugurado em 1970, o Museu da Imagem e do Som (MIS) de São Paulo conta com mais de 200 mil itens em seu acervo, entre vídeos, cartazes, filmes e fotografias. Em 2014, recebeu 603.197 pessoas, sendo o mais visitado do estado. Com uma programação cultural diversificada, o MIS apresenta exposições e mostra de cinema regulares, com atividades voltadas a todos os públicos. Além de abrir espaço para novos artistas exibirem seus trabalhos de fotografia, dança, música e cinema por meio de seleção.

Sua mostra de maior sucesso, Castelo Rá-Tim-Bum – A exposição, levou mais de 410 mil pessoas ao MIS. Idealizada em homenagem ao programa infantil da TV Cultura que completou 20 anos em 2014, a exposição venceu votações populares como o Evento do ano pelos leitores do Guia da Folha, e outros três prêmios de Melhor Exposição, pelos leitores da Veja São Paulo, pelo site G1 e pelo Uol.

Informações

Endereço: Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo - SP
Horário de funcionamento: terça à sábado das 12h às 21h; domingo e feriados, das 11h às 20h.
Telefone: (11) 2117-4777
Site: http://www.mis-sp.org.br/.

Ouro Preto e suas igrejas

Ouro Preto, que recebe o título de Patrimônio Histórico da Humanidade, abriga o maior conjunto barroco da arquitetura brasileira, conservando preciosidades, como as igrejas de São Francisco de Assis, considerada o ícone do estilo no país e obra-prima de Aleijadinho, e a de Nossa Senhora do Pilar, ornamentada com mais de 400 quilos de ouro.

Durante o dia, um bom programa é desvendar altares, garimpar peças nas feiras de artesanato em pedra-sabão e caminhar pelas lojas e cafeterias da Rua Direita. Para quem gosta de curtir a noite, bares e festas agitam as repúblicas de estudantes.

O movimento é intenso na Semana Santa. Muitas famílias saem de longe para apreciar as procissões e os tapetes de flores e serragem que colorem as ruas de Ouro Preto. Para aproveitar a tranquilidade do local, as opções são a antiga Maria-Fumaça que leva à cidade vizinha, Mariana, ou seguir para o Pico do Itacolomi, em um parque estadual com 75 km2, cuja beleza pode ser admirada em mirantes naturais.

A folia toma conta de Ouro Preto em períodos como o Carnaval - há desfiles de blocos - e Festa do Doze, em outubro, quando o aniversário da Universidade Federal de Ouro Preto reúne antigos e atuais estudantes.

L.BR.MKT.12.2016.6783