Matérias

Quais são os tipos de degeneração?

Apresentação dos tipos de degeneração e dos sintomas que os caracterizam.

  • A+
  • A-

Dica cultural: Museu do Futebol
Dica: audiobook Noites Brancas, de Dostoiévski

Tipos e sintomas da DMRI

A degeneração macular relacionada à idade (DMRI) é dividida em dois tipos: a atrófica (seca) e a exsudativa (úmida). A primeira, causada pelo envelhecimento e afinamento dos tecidos da mácula, é a mais comum, presente em 90% dos pacientes mas a que menos causa cegueira por evoluir mais lentamente. Nesse caso, perde-se gradualmente a visão central.

Já nos casos de DMRI exsudativa, formam-se vasos sanguíneos anormais e mais fracos na retina na sua região central chamada de mácula. Essa característica provoca o vazamento de fluidos e sangue que afetam a mácula e prejudicam a visão central. Os danos à visão, nesses casos, podem surgir de forma rápida e severa. Apesar da pequena porcentagem de pacientes acometidos por este tipo da doença, ele é o principal responsável pela perda da visão central que tanto incomoda as pessoas afetadas.

A degeneração macular atinge tanto a visão de longe como a de perto, ou seja, seus sintomas podem dificultar ou até mesmo impedir o paciente de fazer atividades simples, porém importantes no dia a dia. Por outro lado, é importante ressaltar que a degeneração macular diminui a visão da parte central do campo visual, mas não afeta a visão lateral ou periférica. Assim, ter DMRI não significa ficar totalmente cego.

Além de variáveis, os sintomas da degeneração macular podem não aparecer nos estágios iniciais da doença. É comum apenas um dos olhos apresentar problemas, enquanto o outro continua normal por muitos anos. A perda da visão central é percebida com maior nitidez quando ambos os olhos são afetados. Os danos causados pela degeneração macular são irreversíveis, mas a detecção precoce e os cuidados e tratamentos iniciados rapidamente podem ajudar a controlar alguns dos efeitos da doença e até manter o paciente sem sintomas por muitos anos. Por esse motivo, fique sempre atento aos sinais e não deixe de fazer visitas regulares ao seu oftalmologista.

Referências

Degeneração Macular. Instituto Panamericano da Visão [Internet]. Acessado em: 24 jul 2014. Disponível em: <http://www.ipvisao.com.br/site/Institucional.do?vo.chave=degeneracao_macular&tipo=14>.

Degeneração macular relacionada à idade (DMRI). Conselho Brasileiro de Oftalmologia [Internet]. Acessado em: 24 jul 2014. Disponível em: <http://www.cbo.com.br/novo/publico_geral/doencas/dmri>.

Degeneração macular relacionada à idade (DMRI) - Terapia fotodinâmica (FDT). Centro Oftalmológico de São Paulo [Internet]. Acessado em: 24 jul 2014. Disponível em: <http://coftalmo.com.br/doencas_tratamento/fdt.php>.

Dica cultural

O Museu do Futebol ocupa uma área de 6,9 mil metros quadrados embaixo das arquibancadas do estádio do Pacaembu, no centro de São Paulo. O teto do museu é a própria arquibancada, o que ajuda na ambientação do espaço e na criação de um clima propício para apreciar todos os cantos. Uma passarela liga os lados leste e oeste do prédio e permite uma bela visão da Praça Charles Miller.

Os eixos “Emoção”, “História” e “Diversão” norteiam o passeio. O visitante começa o percurso no eixo “Emoção”: a Sala do Torcedor mostra objetos utilizados pelos torcedores, como chaveiros, flâmulas, broches e bandeiras. No eixo “História”, a Sala dos Heróis apresenta personalidades brasileiras que marcaram o século, entre elas, jogadores como Leônidas da Silva e Ademir da Guia. A Sala Experiência Pelé e Garrincha é uma homenagem aos craques que nunca perderam uma partida jogando juntos.

No setor “Diversão”, o visitante conhece a Sala dos Números e Curiosidades, um grande almanaque interativo. A Sala Jogo de Corpo disponibiliza uma experiência muito divertida, já que o visitante pode bater um pênalti e saber qual é a velocidade de seu chute. O passeio termina na Sala Pacaembu, que celebra o estádio, um dos mais antigos do país.

Informações

Endereço: Praça Charles Miller, s/nº - Pacaembu - São Paulo.
Horário de funcionamento: de terça a domingo, das 9h às 17h, com permanência até as 18h (horário diferenciado em dias de jogos no Estádio do Pacaembu).
Às quintas-feiras e aos sábados, o ingresso é gratuito para todos os visitantes. Outros dias, verificar valor no local.
Telefone: (11) 3663-3848
E-mail: contato@museudofutebol.org.br.
Site: www.museudofutebol.org.br.

Audiobook: Noites Brancas - Fiódor Dostoiévski

Os audiobooks são ótimos recursos para os pacientes com DMRI darem continuidade ao hábito da leitura de um modo diferente: através da audição. O livro Noites Brancas, de Fiódor Dostoiévski, tido como um dos maiores romancistas da literatura russa e um dos artistas mais inovadores de todos os tempos, é uma ótima alternativa de leitura.

Numa iluminada noite de primavera, à beira do rio Fontanka, um jovem sonhador se depara com uma linda mulher que chora. São Petersburgo, capital russa, está mergulhada em mais uma de suas noites brancas, fenômeno que as faz parecerem tão claras quanto os dias e que confere à cidade a atmosfera ideal para o encontro dessas duas pessoas. Em apenas quatro noites, o tímido rapaz e a misteriosa Nástienhka passam a se conhecer como velhos amigos, mas algo vem atrapalhar o romântico desenrolar desse relacionamento.

Publicada em 1848, a história faz parte do ciclo de obras que Dostoiévski (1821-1881) criou após amargar uma forte desilusão amorosa, sendo a última escrita antes da prisão e do período de exílio na Sibéria.

Livro disponível em: http://www.livrariasaraiva.com.br/produto/3710142/noites-brancas-audiolivro/.

L.BR.MKT.12.2016.6783